Voltou a beber vinho, Roberto?!

16/04/2014 às 00:40.

Eu escrevo sobre vinhos há pouco tempo e a meu favor tenho apenas a minha sinceridade, já que sou um apaixonado pelo assunto e não um enólogo (entendedor profissional de vinho). Vale dizer também que não sou patrocinado por nenhuma empresa e jamais me venderia para falar bem de algo que não gosto. Eu nunca falei bem de espinafre e continuo com a mesma opinião até hoje... pode me pagar quanto quiser, que sempre irei preferir batata frita a espinafre. Popeye que me perdoe. E com vinho não é diferente.


 Graças ao meu trabalho como publicitário, o que me torna independente financeiramente, posso falar livremente o que quiser sobre qualquer vinho, de qualquer produtora ou empresa. Ou seja, posso falar a verdade simplesmente. E se não gostarem, desculpa... vão reclamar com o Roberto! 

Me entristece ver que as pessoas se vendem e, pior de tudo, por tão pouco (o que deixa a coisa ainda mais patética). É claro que dá para ganhar dinheiro sem vender a alma. O problema é que as pessoas sempre escolhem o caminho mais fácil, só que quem paga o pato é aquele que ainda resiste no árduo caminho de ser verdadeiro, no meio de tanta mentira. 

Eu resolvi escrever essa matéria chata para compartilhar com vocês um pouco do que eu penso sobre o mercado de vinhos (assim como tantos outros). Além disso, para reforçar a minha posição de sempre escrever o que penso, não me importando com nada mais do que a verdade. Eu devo isso ao primeiro fã do Vinhozinho, que hoje conta com mais de 140 mil deles. Eu devo isso às pessoas que compram os vinhos que eu humildemente indico e, acima de tudo, aos que acreditam no que eu falo. 

É bom saber que não estou sozinho, mas ainda somos poucos.

Acho que é isso... desculpem o desabafo, mas são tantas emoções...

Saúde! :)